TPM – Aconchegar o Útero e Acalmar as Emoções

8 de Abril, 2020 0 Comentários

POR:

Sandra Santos – Licenciada em Farmácia e Naturopata

Hoje em dia em que muito se fala sobre a saúde da mulher e a importância do seu ciclo menstrual, podemosnuma visão mais holística traduzi-la numa maior consciência sobre o que é considerado como sagrado no feminino. As exigências do dia-a-dia levaram as mulheres a desconectarem-se da sua verdadeira essência, o que se tem manifestado, inclusivé, como um desconforto e uma desregulação no seu ciclo menstrual, a qual se designa como Tensão Pré-Menstrual (TPM).

A TPM pode ser caracterizada por um conjunto de sintomas que podem afetar as mulheres, de diferentes faixas etárias, durante parte do seu ciclo menstrual. Estes sintomas podem manifestar-se como:

  • Alterações de humor e ansiedade
  • Alterações do sono
  • Irritabilidade e vontade de chorar
  • Dores de cabeça
  • Cólicas, flatulência e mudança dos hábitos intestinais
  • Tensão mamária
  • Retenção de líquidos
  • Compulsões alimentares

Estas manifestações encontram-se descritas como parte integrante do quotidiano de muitas mulheres sendo que, em alguns casos, interferem inclusivé nas suas atividades diárias.

Posto isto, levanta-se a seguinte questão: Mas porque é que a TPM pode acontecer?

A mulher possui um ciclo menstrual, que pode ter a duração entre 20 a 45 dias aproximadamente, sendo a sua duração média de 28 dias. Este ciclo compreende a libertação de um óvulo, por parte dos ovários, e a um aumento da espessura do endométrio para que o óvulo fecundado se possa “aconchegar” no útero. Quando a fecundação não ocorre, há uma escamação do endométrio e inicia-se o processo da menstruação, levando ao inicio de um novo ciclo, ciclo esse que é controlado pelas hormonas femininas – estrogénio e progesterona. Pensa-se que são as oscilações dos valores hormonais que levam à manifestação da TPM, sendo que os sintomas ocorrem cerca de 1 a 2 semanas antes do inicio da menstruação.

Como podemos então prevenir este desconforto antes da menstruação?

A evidência tem demonstrado que ligeiras alterações nos estilos de vida, meditação, exercícios de relaxamento, aplicação de  calor, introdução de alguns alimentos, vitaminas, minerais e plantas medicinais, têm ajudado as mulheres a lidar com os sintomas da TPM.

 Óleo de Onagra (Oenothera biennis)- Regulação Hormonal e Inflamação

Contendo na sua composição uma riqueza em ácido gamalinolénico (GLA), derivado do ácido linolénico, um ácido gordo essêncial precursor de prostaglandinas, nomeadamente da prostagladinas E1 (PGE1) que têm uma ação anti-inflamatória e exercendo um efeito regulador nas hormonas femininas influenciando ainda, a libertação de neurotransmissores. A evidência mostra assim uma ação nos processos inflamatórios e como reguladora hormonal, sendo uma planta de primeira linha na prevenção da TPM*.

Tanaceto (Tanacetum parthenium) – Dores de cabeça

Pelo seu teor em partenólidos, compostos ativos que inibem a libertação de serotonina por parte das plaquetas, prevenindo assim, as dores de cabeça muitas vezes associadas à TPM. Numerosos estudos clínicos demonstraram que a administração diária de Tanaceto reduz de forma notável o aparecimento das enxaquecas e dos sintomas que lhes estão associados como os  vómitos, as náuseas e os enjoos*.

 Ashwagandha (Withania somnifera) – Alterações de Humor e Ansidedade

Devido às suas propriedades adaptogénicas a Ashwagandha tem demonstrado um papel muito eficáz como coadjuvante em situações onde a fadiga, o stress as alterações de humor e ansiedade se manifestam. Posto isto, tem vindo a ser uma agradável surpresa em mulheres onde os sintomas da TPM se relacionam com o descrito acima, devolvendo à mulher uma maior energia para ultrapassar situações de maior desconforto ao longo do seu ciclo menstrual*.

 Funcho, sementes  (Foeniculum vulgare) – Flatulência e mudança dos hábitos intestinais

Rico em anetol, composto similar à dopamina, é capaz de inibir dores e diminuir os espasmos que muitas vezes se manifestam, durante a TPM e na mestruação. A sua utilização auxilia na diminuição da flatulência que se pode tornar tão exacerbada neste período*.

 Cardo mariano  (Silybum marianum) – Fígado como suporte para a  Menstruação

Planta utilizada pela sua capacidade em manter um bom funcionamento hepático, tem enorme interesse na TPM, uma vez que, segundo a Medicina Tradional Chinesa, o fígado é, por exemplo, responsável por manter o livre fluxo do movimento do sangue, direcionando a circulação do mesmo quando necessário, regulando assim o ciclo menstrual. A regulação do ciclo leva, inclusivé, à diminuição das dores de cabeça, manifestação frequente, durante a TPM*.

 Magnésio – Aterações do Humor e do Sono, Dores de Cabeça e Cólicas

Mineral que atua como cofator enzimático na produção de neurotransmissores, tais como a serotonina e a melatonina, prevenindo alterações do humor e do sono. É considerado um antagonista natural de recetores da dor, reduzindo assim as dores de cabeça e as cólicas associadas à menstruação. A evidência mostra que  o magnésio auxilia no alivio de sintomas da TPM tais como, dores de cabeça, alterações de humor e sono e cólicas*.

Vit. B6 – Regulação Hormonal

Vitamina que atua como cofator enzimático nos processos de conversão do triptofano em serotonina e na síntese da dopamina. Baixos níveis desta vitamina predispõem a um aumento da tensão mamária. A evidência mostra que a vitamina B6 contribui para a regulação da atividade hormonal*.

Em suma, a TPM varia de mulher para mulher logo, o melhor é aprender a escutar o seu corpo e encontrar na natureza, através dos alimentos e das plantas, a chave para se reconetar com o seu ciclo mentrual, despertando e honrando o sagrado feminino em si!

*Evidência científica demonstrada em artigos publicados no Pubmed